sexta-feira, 4 de setembro de 2015

O QUE JOBIM JÁ PREVIA


As mudanças climáticas chegaram e mudaram a letra que há muito tempo cantava-mos. Acotumamos-nos a morar num país tropical abençoado por Deus em que todos os anos as águas de março fecham o verão.   A terra que certa vez foi apelidada pelo compositor brasileiro Guilherme Arantes de Planeta Água, hoje enfrenta o desequilíbrio  mais marcante de sua história. Aquelas lágrimas que inundam a região Norte do país e que sempre caíram secas no Nordeste, com o susto da crise hídrica secaram no Sudeste.

 Sejamos objetivos: os níveis do Rio Acre alcançaram médias históricas, bem como os níveis de diversas represas como o Sistema Cantareira, em São Paulo. Não é preciso ir tão longe: O rio Paraíba do Sul em Campos dos Goytacazes – RJ atingiu níveis baixíssimos alertando a população e comprometendo o abastecimento urbano. Já diziam as avós: uns com tanto, outros com tão pouco.

O tão sonhado Desenvolvimento Sustentável, que foi apresentado pela ONU há 32 anos, e que nos ajudaria a manter o equilíbrio do planeta precisa ser implementado e absorvido por toda sociedade, antes que só nos reste pau, pedra e o fim do caminho.

Verônica Ramos
Graduanda em Engenharia Ambiental
IFF-Campus Campos, Guarus. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário