quinta-feira, 23 de junho de 2016

Projeto Educação em Movimento

“DIGA E EU ME ESQUECEREI, MOSTRE-ME E TALVEZ ME LEMBRE, ENVOLVE-ME E COMPREENDEREI.”

As pesquisas comprovam que pessoas expostas a estímulos auditivos (uma apresentação teórica), absorvem em média 25% do conteúdo abordado. Se for adicionado um estímulo visual ao auditivo, o percentual aumenta para 35%. Entretanto, se as pessoas estiverem envolvidas e transformadas em agentes do próprio aprendizado, o percentual de retenção sobe até para 80%, proporcionando assim, um maior retorno sobre o investimento do treinamento.
Assim promover a sensibilização dos mais diversos atores sociais para importância da conservação dos ambientes naturais torna-se mais eficaz quanto envolvemos as pessoas em atividades voltadas a preservação do meio ambiente, ou outras que só são possíveis em ambientes preservados.

A proposta do Projeto Educação em Movimento se firma nas ideias da  Escola peripatética, que  foi um círculo filosófico da Grécia Antiga que basicamente seguia os ensinamentos de Aristóteles, o fundador. Fundada em c.336 a.C., quando Aristóteles abriu a primeira escola filosófica no Liceu em Atenas, durou até o século IV.

"Peripatético" (em grego, περιπατητικός), é a palavra grega para 'ambulante' ou 'itinerante'. Peripatéticos (ou 'os que passeiam') eram discípulos de Aristóteles, em razão do hábito do filósofo de ensinar ao ar livre, caminhando enquanto lia e dava preleções, por sob os portais cobertos do Liceu, conhecidos como perípatoi, ou sob as árvores que o cercavam.

Não é uma ideia nova, mas sem dúvida um (re)inovação na forma de ensinar, pois convenhamos que nenhum recurso pedagógico e tecnológico é mais eficaz experiencia in loco.

Assim apresento-lhes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário